All Articles Mixing & Mastering
Misturando Dicas Orchestra: Pre ou Post Fader Enviar Reverb?
Peter Schwartz on Mon, May 18th 5 comments
When mixing your next project (especially orchestral) spare a thought for your audience. Using pre-fader sends, Peter Schwartz shows how to simulate how sounds will be perceived.

Eu fui inspirado a escrever este artigo depois de discutir uma situação com vários compositores que procuraram o meu conselho sobre como colocar mais distância entre o ouvinte eo som direto das amostras. Em outras palavras, seu objetivo final era para simular o que soa como uma orquestra a partir da perspectiva de um membro do público sentado na fila do meio de uma sala de concertos, ao contrário da primeira fila ou mesmo mais perto do condutor sourcethe ou jogadores posições. A solução proposta: definiu seu reverb envia para ser pré-fader em vez de pós-fader.

Agora, se você não estiver familiarizado com esses termos, não se preocupe. Ill explicar o jargão, bem como o princípio subjacente a esta abordagem de engenharia (que vai trabalhar 99% do tempo, mas eu vou chegar a isso). Primeiro, vamos explorar o que ocorre naturalmente na sala de concertos quando uma orquestra é ouvido à distância.

No quarto

Quando os projetos de som do palco em uma sala de concertos, ele imediatamente começa a reverberatereflecting fora das paredes, tetos e pisos e mistura-se com o som direto dos instrumentos no palco. De um modo geral, o som da própria reverb é um borrão sônica, menor em fidelidade e menos detalhada do que o som direto. Quanto mais para trás você está no quarto, o blurrier o som torna-se como o equilíbrio entre (seco) de som direto e som reverberante (molhado) é desviada para o molhado. O efeito de se sentar mais perto ou mais longe da orquestra não é muito diferente da que está com o nariz apenas polegadas de distância de uma pintura, em comparação com o que youd ver se você colocar óculos com lentes foscas.

Illustration A

A ilustração


Illustration B (intentionally blurry)

Ilustração B (intencionalmente desfocadas)

Assim, quando você quer que a orquestra a ser percebida como sendo ouvida mais longe do palco, você quer ouvir menos sinal direto e mais do embaçada, reverb indistinta. Isso é o princípio simples, subjacente. Existem duas abordagens de engenharia mix que podemos tomar para simular este: elevar o nível das saídas reverberações a ser maior do que o habitual, ou diminuir o nível dos todos os sinais de seca e deixam o nível de reverb onde estava. De qualquer maneira, o resultado será o mesmo: distorcendo o equilíbrio úmido / seco para o molhado.

Então, como seria essa configuração envia para ser pré-fader pode alcançar essa meta? Heres a resposta: na maioria das situações, ele não pode. Se qualquer coisa, esta abordagem vai jogar fora seu saldo úmido / seco, logo que você mover os faders enquanto mistura. E para descobrir o porquê, vamos rever brevemente como manda trabalho.

Enviar Basics

O método tradicional para adicionar reverb para vários sons em uma mistura é para enviar o sinal a partir desses canais para um plug-in reverb comum. Isto é feito, é claro, por meio da configuração de um envio de sinal de cada canal de tubo ao longo de um barramento comum a que reverberação (ver Figura 1).

Figure 1: two channels sending signal to a common reverb.

Figura 1: dois canais de envio de sinal para um reverb comum.

Assim, quanto reverb você adicionar a um som (tecnicamente, quanto de sinal que você enviar para o reverb) é apenas uma questão de quanto você aumente o envio. Mas se essa quantidade de reverb permanece consistente durante toda a duração de uma parte depende de como o ponto exato de dentro do canal que o envio recebe o seu sinal a partir. E é aí que a coisa toda pré-fader / post-fader entra em jogo.

Batendo Pontos

Figure 2: the Post-Fader signal tap.

Figura 2: o sinal torneira Post-Fader.

A configuração padrão para envia em misturadores de hardware e software é pós-fader, onde um envio torneiras sinal de um ponto após o fader tem uma influência sobre o nível do volume global do som (Figura 2). No entanto, não é incomum encontrar uma opção para alterar o ponto de toque para ser pré-fader, onde o envio recebe o sinal a partir de um ponto antes do fader nunca tem a chance de influenciar o nível (Figura 3).

Figure 3: the Pre-Fader signal tap.

Figura 3: o sinal torneira Pre-Fader.

Com uma pós-fader enviar, a quantidade de sinal enviado para o reverb será sempre proporcional ao nível do fader. Montando o fader para cima / baixo significa que mais menos sinal / chega ao reverb, respectivamente. A vantagem deste arranjo é a consistência: depois que você discar um montante inicial de reverb no envio, não importa o quanto você monta o nível do volume de uma parte, enquanto se mistura, os sinais de secos e molhados será sempre proporcional ao outro. Isso pode ser ouvido na seguinte clipe de áudio, onde a mesma passagem flauta contralto joga twicefirst com o fader fixada em zero, em seguida, com o fader fixado em -12 dB.

Exemplo Áudio 1:

[Id áudio = "33980"]

O oposto de Consistência

Agora vamos imaginar o que aconteceria se o ajuste do fader não teve efeito sobre a quantidade de sinal que está sendo enviado para o reverb. Por exemplo, digamos que você tinha uma parte que resistiu por muito tempo e você queria disfarçá-la para fora, baixando o fader. Se o pai não teve nenhuma influência sobre o nível de sinal que está sendo enviado para o verbo, o som seria continuamente e directamente alimentar sinal para ele, mesmo depois de completamente desapareceu o sinal seco. O resultado: youd continuar a ouvir o som fantasmagórico do reverb muito tempo depois que desapareceu o sinal seco.

Isso pode resultar em um efeito legal, mas derrota o propósito original. Portanto, agora não vamos imaginar, mas ouvir isso de verdade. Neste primeiro exemplo de áudio você vai ouvir uma nota sustentada com reverb pós-fader (e uma faixa do clique) que dura demais medidas longtwo em vez de um:

[Id áudio = "33978"]


Em seguida, Ive desapareceu a flauta no final de uma medida, com o reverb definir pós-fader. O sinal seco será silenciada e apenas o último bit de som que atingiu o reverb tocará no reverb.

[Id áudio = "33979"]

Agora ouvir o som desaparecendo da mesma forma, mas em que o envio é definido para ser pré-fader. O sinal seco vai realmente desaparecer, mas o som que continua após uma medida é puramente reverb.

[Id áudio = "33977"]

Thats Pre-Fader para Ya!

Na verdade, com pré-fader, quando você ajusta o fader você perder o controle do equilíbrio entre sinal seco e molhado quando você move o fader.

Um problema igual e oposta ocorre quando você aumentar o fader. Aqui, o sinal seco vai ficar mais alto e tornar-se mais direta, sem qualquer aumento em quanto o som reverbera no quarto. Esta derrota o propósito de distanciar o ouvinte a partir do som do close-up. Quanto mais alto você faz uma parte, o efeito é o mesmo que fisicamente mover esse jogador ou seção mais perto do ouvinte! (Ver Figura 4).

Figure 4: raising the fader with a pre-fader send has the effect of moving the player closer to you!

Figura 4: aumentar o fader com uma pré-fader enviar tem o efeito de mover o jogador mais perto de você!

Como conseguir que soam Oriente Row

A solução aqui é bastante simples. Em primeiro lugar, não se incomoda com pré-fader. Deixá-los definido para ser pós-fader lhe dá a capacidade de ajustar o nível de uma parte e manter o equilíbrio úmido / seco discado em no botão de envio. Para conseguir um som global mais úmido, como se o ouvinte está mais longe do palco, elevar o nível de saída dos seus reverbs (facilmente feito), ou diminuir o nível de todos os seus sinais secos (muito mais difícil). Id sugerem a primeira abordagem. Muito simples!

Related Videos
Comments (5)

You must be logged in to comment.

  • Luvekeo
    This is exactly what I have been experimenting with! Although it is true that you can't use your volume automation to 'goose' your dynamics in post-fader sends, when I'm working exclusively with virtual instruments, I like using MIDI expression for dynamics like an actual orchestra and pushing the sections back/forward with the pre-fader send on an early reflection reverb. Then my full long reverb can be post-fader send. BTW- LOVE all of your MPV videos!!!! 👌🏽
    • 5 years ago
    • By: Luvekeo
    Reply
  • Peter Schwartz
    Hi Greg, thanks for your comments and compliments! The technique you mentioned is fodder for a whole series of articles. Or a book LOL! There are soooo many ways to control volume and dynamics, and depending on which one you use will determine its effect on the reverb balances and ultimately the mix. But regarding CC#11, it's not implemented i the same way in every sampled instrument. In EastWest Hollywood Strings, for example, CC#11 affects what we could call "true instrumental dynamics" because it's controlling sample crossfading. But in their EWQL Orchestra, CC#11 only controls volume -- no different from using CC#7. Many other instruments respond to CC#11 by only controlling volume, and then there are those which don't respond to CC#11 at all. Of course, this situation makes it hard to work consistently from one instrument to another, so my approach is to ride volume exclusively with faders -- and that makes the choice of post-fader sends critical for this kind of approach. Otherwise my virtual players would be sonically flying into the audience when I goose the volume, and retreating backstage when I tuck them back in the mix. :)
    • 5 years ago
    • By: Peter Schwartz
    Reply
  • Luvekeo
    Your my undisputed "virtual orchestra" guru, Ski! I own all your MPV vids (except signal-flow). As I continue to tweak my templates and write more pieces, I'll consider retuning to "strictly post-fader" sends. I've been experimenting with sending from each instrument to the verb busses, vs sending only from the bus that I have set up for each instrument family (section). Any thoughts on that approach? -Your humble "apprentice".
    • 5 years ago
    • By: Luvekeo
  • Peter Schwartz
    Hi Greg, Guru? Me? Oh man, I don't know what to say but thank you! (I don't take compliments well). Moving swiftly along... ;) This is a tough question to answer, so I'm going to offer just very general guidelines... If you tend to make significant volume rides on the Auxes (subgroups) for each instrument family, then the reverb send(s) should be on the Aux, and they should be post-fader. Here's an extreme example to illustrate the point, and there are 3 scenarios to consider, and they all involve post-fader sends... Your trumpets and their reverb balances sound perfect. But they're too loud overall in the mix. Typical trumpet players, right? (LOL) So you bring down their subgroup -12 dB. 1• If you have *no* reverb sends on the individual trumpet instruments, but you did have sends on the subgroup (the Aux), when you lower the subgroup's fader you'll maintain the balance of reverb vs. dry signal on the trumpets overall. This is because a post-fader send ensures that the proportion of dry and wet signals is maintained when you adjust the level. 2• If you *did* have reverb sends on the individual trumpet instruments and *no* reverb send on the subgroup, turning down the subgroup's fader would result in a much wetter-sounding trumpet ensemble. The dry signal would be lower, but you won't have affected the amount of reverb being sent from the individual channels, hence the result would be lower (dry) trumpets with the same amount of reverb as before. 3• If you have sends on both the individual channels *and* the subgroup, lowering the subgroup's fader will result in a simultaneous reduction in both the level of the dry signal *and* the amount of reverb on the trumpets overall. However, the balance of dry signal to reverb you'll be left with might be quite different from what you had before. It all depends on how (or if) the reverb amount on each trumpet was different or not. Here, the subgroup's send adds reverb to your trumpets "globally" and equally for the entire ensemble. It's a difficult call as to use #1 or #3. Number 2 is definitely not the way to go. As I said in my previous post, this is fodder for a book or video course because of all the different permutations of signal flow possibilities and ultimately, what it actually sounds like (which might be great) even if you do things "wrong", if you know what I mean. Hope that helps!
    • 5 years ago
    • By: Peter Schwartz
    Reply
  • Luvekeo
    Great point. My current template is a #2 design, so I'll go back and experiment with using the sends on the "instrument family auxes". Maybe even using a single send for overall verb, and an insert on each aux with really short verbs for 4 different "early reflection" settings for strings, woodwinds, brass & percussion front-to-back. 😉
    • 5 years ago
    • By: Luvekeo
    Reply
The MIDI Orchestra - Enhancing Realism
Orchestration 301
Dream It. Do It.
Do you want to learn The MIDI Orchestra - Enhancing Realism?
Yes, I want to learn!
No Thanks, I just want to read the article.
Feedback
Course Advisor
Don't Know Where To Start?
Ask A Course Advisor
Ask Us!
Copy the link below and paste it into an email, forum, or Facebook to share this with your friends.
Make money when you share our links
Become a macProVideo.com Affiliate!
The current affiliate rate is: 50%
Classes Start Next Week!
Live 8-week Online Certification Classes for: